Artigos

Qualidade é função de todos: Um olhar mais profundo para seu processo utilizando métodos de Taguchi

Em Qualidade, Qualidade e produtividade

Com tudo que vem acontecendo venho refletindo sobre os problemas e perdas que estamos enfrentando atualmente, nunca esses assuntos foram tão comentados e discutidos. Te convido a analisar um pouco as perdas encontradas dentro de nossas empresas, perdas podem acontecer em qualquer negócio, independente do seu tamanho ou segmento.

Praticamente toda as vezes que percebemos que estamos com um gargalo e que isso está gerando algum tipo de perda, somos tendenciosos a focar apenas no impacto e no custo que essa perda está gerando, e neste momento muitas empresas ficam alienadas e não conseguem analisar a real causa do problema, essa situação nos coloca em uma perigosa zona de conforto.

Se pensarmos com calma qual seria a primeira coisa a fazer neste caso? Pode até parecer clichê mas tenho plenas convicções que o primordial é encontrar a causa raiz e analisar estratégias para resolver o problema, ao invés de sempre corrigir instantaneamente cada gargalo que apareça.

A atitude para a Qualidade

Um exemplo muito real disso é quanto a perda de desperdício, a ideia é pensar, como anda o desperdício dentro de nossa empresa? Procuramos gerar índices que nos ajudem a revelar os níveis de desperdícios dentro daquilo que produzimos ou realizamos?

O mais interessante é que a perda por desperdício é uma consequência principalmente de comportamentos e hábitos que, em muitas vezes, passam por despercebidos em nossas atividades rotineiras, ninguém vê, mas todos nós já ouvimos falar. E quando o desperdício aparece, tenha certeza que ele pode causar danos terríveis para uma organização.

Todavia, onde podemos achar o desperdício? Bem, há algumas áreas onde é comum detecta-lo como: transporte, movimentação desnecessária, produção excessiva, tempo, dinheiro, recursos, retrabalhos, e muitas outras. E neste momento você pode estar se perguntando como podemos evitar as perdas em nossa empresa? Pois bem, existe uma estratégia simples: mudar os hábitos e comportamentos é o primeiro passo fundamental, pois as pequenas ações geram grandes resultados.

E é esse o motivo que os programas da qualidade e melhoria contínua sugere, em sua essência, a conscientização e envolvimento de todos os colaboradores da empresa, pois desta forma os resultados aparecerão com certeza. O impressionante é que a prevenção de perdas muitas vezes é uma ação ignorada dentro das empresas já que muitas organizações visam apenas o lucro dos seus negócios e deixam de mensurar as baixas que existem e tratá-las como prioridades estratégicas.

O conselho de Taguchi

Um dos “gurus” da qualidade Genichi Taguchi nos ensinou que não existe zero defeitos, a qualidade tem sim um preço, em razão de, mesmo que o produto esteja dentro dos limites de especificação, há um custo definido para a sociedade se a característica desse produto não está exatamente no valor nominal.

Quanto mais longe do valor nominal (alvo do processo), maior será o custo. Portanto o custo da baixa qualidade como as “perdas” que o produto estabelece à sociedade é definido a partir do momento que esse produto é entregue a sociedade. Esse conceito é representado pela função perda de Taguchi, onde podemos ver que as perdas aumentam quadraticamente conforme nos afastamos do valor nominal (alvo do processo)

Desta forma Taguchi popularizou sua metodologia da qualidade com o conceito da função perda, evidenciando o impacto da variação da qualidade. As ideias de Taguchi podem ser divididas em dois princípios fundamentais;

Primeiro, as perdas de qualidade aumentam assim que desvios em relação ao alvo ocorrem, ao invés de anunciar zero defeitos. O segundo princípio é o alcance de sistemas para alta qualidade através de um projeto do processo de manufatura, pois a qualidade é projetada, e não manufaturada no produto.

O uso desta função perda, é uma expressão matemática que pode declarar, particularmente para propósitos gerenciais, o valor monetário da consequência de qualquer aperfeiçoamento em qualidade. Embora tal valor monetário não represente uma virtual perda ou dano, ele é um conveniente índice de desempenho que pode ser facilmente apreciado pelos tomadores de decisão da empresa, já que o seu principal foco está na redução de custos.

Para finalizar gostaria de mencionar o quanto Taguchi fez contribuições valiosas para a qualidade. Sua ênfase na perda para a sociedade, técnicas para investigar a variação em experimentos, e sua estratégia geral de sistema, parâmetro e design de tolerância têm sido influentes na melhoria da qualidade e utilizado em todo o mundo.

Independentemente de alguns dos aspectos estatísticos dos métodos Taguchi serem discutíveis, eles são amplamente aplicados a vários processos, pois a utilização na prática dos conceitos descritos acima é o ponto de partida para um bom gerenciamento de processos.

Como podemos ajudar a sua empresa?

A ACC Engenharia de Medição com um corpo técnico altamente qualificado e com mais de 20 anos de experiência pode ajudar sua empresa a aplicar os conceitos de metrologia produtiva, auxiliando na avaliação de potenciais de melhorias e ações efetivas para garantir a qualidade das medições e assim agregando valor aos seus processos e produtos.

Conhecimento metrológico e suas aplicações são fundamentais para a busca da melhoria contínua e para garantir uma boa produtividade e ações assertivas.

Entre em contato conosco e entenda como podemos ajudar você a gerar valor

[1] Site: https://qualidadeonline.wordpress.com/2010/07/01/genichi-taguchi/
[2] Site: Wikipedia.com/Genichi_Taguchi
[3] Site:  Blog da Qualidade

As etapas da qualificação de equipamentos (Parte I)

Fale conosco!