Artigos

O que eu ganho me adequando para a RDC 304?

Em Mapeamento térmico

Olá pessoal, esse é nosso primeiro artigo aqui no blog da ACC Metrologia. Me permitam a apresentação, sou Lucas Cimonari, farmacêutico e atuo no mercado há 12 anos, passando pelas áreas técnica e comercial de alguns setores da cadeia logística (indústria, distribuidora e drogaria). Me especializei em consultoria técnica para logística farmacêutica com foco no cold chain, inclusive sou CEO e fundador da Qualifica e Me Qualifica em 2P, uma empresa de consultoria especializada em logística de cadeia do frio.

Bom, feita a devida apresentação esclareço que o meu propósito nesse blog é auxiliar com as ferramentas necessárias quando o assunto é: Boas Práticas de Distribuição, Armazenamento e Transporte. Mais especificamente, passarei de maneira objetiva e direto ao assunto diversos pontos sobre a implementação da RDC 304/2019 e suas atualizações com a RDC 360/2020.

Tenho um apreço especial em trazer esses artigos aqui na ACC pois, de uma maneira geral, o mercado farmacêutico brasileiro atua de forma bastante subjetiva, focando todas as suas energias em aspectos qualitativos e deixando de lado os aspectos quantitativos e metrológicos da questão. Já deixo bem claro que sou uma pessoa que adora métricas nos processos, não importa o que seja, e no vai e vem do dia a dia conheci o Neville Fusco, diretor executivo da ACC, que praticamente respira metrologia dia e noite. Foi a combinação perfeita para trazer os materiais que venho fazendo nos últimos tempos e acredito sinceramente que irá mudar o cenário logístico farmacêutico.

Por que se adequar à RDC 304/2019?

A primeira coisa que é óbvio, você vai se adequar a fiscalização da vigilância sanitária local, por se tratar de uma normativa, portanto obrigatória, creio eu, já seria um excelente ponto, evitando assim uma não conformidade, uma autuação, uma eventual multa ou até mesmo o fechamento do seu estabelecimento por tempo indeterminado. Mas além disso eu vou ressaltar aqui outros 3 pontos que eu julgo muito importantes, e que certamente irão te auxiliar a convencer sua diretoria.

O primeiro ponto é o conhecimento. Exatamente, conhecimento, pois a partir do momento que você se adequa a essa RDC, você passa a conhecer totalmente o comportamento térmico do seu galpão, dos seus equipamentos e o principal, das suas rotas, tendo muito mais segurança para monitorar sua carga, seja ela fria ou seca. Além disso, seu poder de argumentação com uma possível auditoria ou fiscalização aumentam e muito, pois você saberá de fato se aquilo que você fala que faz hoje na sua cadeia logística, é de fato a realidade. Quer ver como é simples, vamos analisar 3 perguntinhas básicas e quero que você responda sinceramente à elas, vamos lá:

  1. Você conhece 100% as suas rotas atualmente?
  2. Confia cegamente na sua qualificação de embalagens?
  3. Se sente seguro em monitorar todas as suas rotas críticas?

Se você respondeu sim para todas essas perguntas, parabéns você está 99% à frente do mercado! Mas e aquele 1%?

Você pode afirmar com a total certeza que confia nos seus processos e que não precisa monitorar suas cargas, mas fica aquela pulga atrás da orelha, certo? E suas devoluções, tem bastante ocorrência? Bom, temos então outro motivo para você adquirir conhecimento e ter plena convicção do seu processo, qualquer reclamação dos seus clientes, com o treinamento correto e o conhecimento adequado de suas rotas será facilmente refutado com dados concretos e medições!

Quais os ganhos para minha empresa?

Redução de perdas, desperdícios, melhoria em prazos de entrega ou redução das ocorrências nas suas rotas. Tudo isso irá trazer mais eficiência no seu processo logístico, de uma certa forma, diretamente relacionada a RDC 304, mas que na verdade já deveria ser aplicado em todos os processos Brasil adentro.

E se a partir do mapeamento e monitoramento você descobre nós logísticos imperceptíveis até então? Com essa você melhora em 10% a eficiência no seu processo. Qual o ganho financeiro desta operação? Já parou pra fazer esse cálculo? Se ainda não parou te sugiro fazer, você irá se surpreender e certamente irá impactar sua diretoria em relação as mudanças que serão obrigatórias!

Agora chego ao último ponto e particularmente considero esse o ponto mais importante de todos que é a padronização. Isso mesmo, a padronização, mas não apenas com as regulamentações nacionais, mas sim com as regulamentações de 55 países membros do PIC/s que possuem normativas semelhantes quando o assunto é BPDTA, esses países se baseiam não somente nas normativas das agências regulatórias locais mas também na literatura internacional como os suplementos técnicos da WHO, a farmacopeia americana (USP), os estudos da ISTA 7D, da IATA e do NIST enfim, estudos robustos com uma vasta bibliografia técnica e padrões metrológicos de qualidade.

Onde eu quero chegar com isso? Se em qualquer momento do seu ciclo logístico, seu processo sofrer alguma influência externa, certamente você receberá a fiscalização de uma agência internacional de um desses países, e adquirindo o comportamento de se adequar às normativas e buscar excelência nos seus processos, você certamente entrará em um padrão metrológico internacional de qualidade, juntando todos os pontos em um só, CONHECIMENTO, REDUÇÃO DE CUSTOS E PADRONIZAÇÃO. –

Os produtos brasileiros que naturalmente se tornavam mais caros agora passarão a ser mais competitivos com a redução da burocracia sanitária e processos mais eficientes na gestão logística. Vamos brigar de igual pra igual com as empresas lá de fora!

Podemos citar diversas outras vantagens, mas acredito que estrategicamente esses 3 pontos são cruciais para auxiliar no seu processo de tomada de decisão e argumentação com a alta diretoria da sua empresa. Converse com eles e passe esses pontos, apresente números de uma possível redução, faça esse estudo e certamente você terá o engajamento e apoio da sua diretoria.

Espero que esse artigo te auxilie ao máximo no seu objetivo, e caso você tenha alguma outra dúvida ou ponto que ache relevante, passa aqui pra gente, transformamos ele em artigo no blog da ACC e vídeo no nosso canal Me Qualifica em 2P!

Como podemos ajudar a sua empresa?

A ACC Engenharia de Medição com um corpo técnico altamente qualificado e com mais de 20 anos de experiência pode ajudar sua empresa a aplicar os conceitos de metrologia produtiva, auxiliando na avaliação de potenciais de melhorias e ações efetivas para garantir a qualidade das medições e assim agregando valor aos seus processos e produtos.

Conhecimento metrológico e suas aplicações são fundamentais para a busca da melhoria contínua e para garantir uma boa produtividade e ações assertivas.

Entre em contato conosco e entenda como podemos ajudar você a gerar valor!

[1] RESOLUÇÃO-RDC Nº 304, DE 17 DE SETEMBRO DE 2019. Dispõe sobre as Boas Práticas de Distribuição, Armazenagem e de Transporte de Medicamentos.

Quais os aspectos metrológicos na área da saúde?

Fale conosco!